quarta-feira, 23 de março de 2011

S.A.R., DOM DUARTE APONTA SOLUÇÕES PARA PORTUGAL SAIR DA CRISE

Diário de Notícias de 23-03-2011
(Clique na imagem para ampliar)
_____________________
Como é que o País chegou a este estado?
A causa reside no modelo errado de desenvolvimento gastando fundos europeus em grandes obras publicas e estimulando o consumismo em vez de desenvolver educação e formação técnica e as capacidades agrícola e industrial.
Desse modo os Portugueses enriqueceriam de modo sustentável em vez de se endividarem. Se o próprio Estado é incoerente, não favorecendo a produção nacional quem acreditará nele?
Por exemplo, hospitais novos foram equipados geralmente com cerâmicas importadas. As famílias esquecem-se de que ao não preferirem os nossos produtos põem em risco os empregos da própria família.
Como sairemos desta situação?
Em várias ocasiões muito graves da nossa História o povo Português provou ser capaz de ultrapassar todos os obstáculos. Para isso, precisou de acreditar nos governantes, de uma politica de verdade e de ver nos governantes coerência e honestidade para perceber que valia a pena aceitar sacrifícios necessários. Os governantes não podem continuar a desperdiçar o nosso dinheiro com obras publicas inúteis e em inúmeros institutos públicos de utilidade duvidosa. Não duvido que alguns sejam muito úteis e sei que o Governo acaba de reduzir o seu numero, mas estou certo de que ainda se pode poupar muito sem ter de cortar nas reformas e asfixiar a economia com impostos excessivos, que diminuem a nossa competitividade internacional. - Dom Duarte de Bragança
Fonte: DN de 23 de Março de 2011

6 comentários:

PPA disse...

Ficou bem ao DN ter feito esta recolha de opinião!

Migas-o-Sapo disse...

Sim senhor, palavras cuidadosas e sensatas e sim, é sempre curioso notar que a comunicação social, por vezes, mostra que tem uma certa conta pelo Senhor Dom Duarte.

De facto, o Estado mostra muita incoerência em coisas relativamente pequenas como esta. O problema é que muitas coisas pequenas fazem uma grande. Agora imaginemos as incoerências grandes de raíz?

Boa apreciação da situação económica. De facto, nós soubémos dar a volta por cima noutras ocasiões bicudas. O problema da linha de raciocínio apresentada, apesar de correctíssima, é que nós não confiamos nos políticos, eles não são coerentes nem honestos e não existe política de verdade. Pode ser que venha para aí alguma manhã de nevoeiro.

Eu sei que não tem nada a ver com o assunto mas não pude deixar de reparar que este blog, tal como o meu, é contra o «Acordo» Ortográfico. Nesse caso, creio que a minha cara Maria Menezes gostará de saber que está em curso talvez a derradeira oportunidade de o banir, que é através de uma iniciativa legislativa do cidadão com vista a revogar a decisão da Assembleia que aprova esse malfadado diploma. É só preencher o formulário que está disponível para sacar e imprimir em

http://ilcao.cedilha.net/?page_id=273

e enviar para a morada indicada.

Temos de zelar para que os legítimos herdeiros da liderança deste país herdem alguma coisa intacta das mãos desta cambada de gente doida senão até eles estarão bem trompicados.

Peço desculpa pelo desvio mas achei importante.

Maria Menezes disse...

PPA, temos um REI fantástico! Se esta cambada o ouvisse mais, talvez o país estivesse melhor!
Abraço!

Maria Menezes disse...

Como não deu o seu nome, também não o vou tratar por "Migas-o-Sapo.
Há quantos anos com excelentes entrevistas O Senhor Dom Duarte tem vindo a alertar o país para melhoria futura?
Sim, sou completamente contra o acordo ortográfico.
Os socialistas são de tal raça que até querem dar cabo também da nosss língua falada e escrita.
Vou tratar do assunto que me sugere sobre o acordo ortográfico.
Obrigada pela visita! Bem haja!

Miguel disse...

Perdão, entrei com uma outra identificação. Chamo-me Miguel, o que tem vindo aqui de vez em quando.
Obrigado!

Anónimo disse...

Tal como eu muitos gostariamos de ajudar Portugal.Mas tudo isto passa também por reduzir aquilo que não é preciso, o que é só luxo, o que não faz falta, o que é desperdicio... retirando tudo isto, passa também por cada um de nós ajudar outros menos abonados, mas como diz o ditado chinês "não é dar o peixe, mas é ensinar a pescar". Sou arquitecta e tenho ajudado voluntáriamente na execução de Projectos de Arquitectura e responsabilidade de obras para uma associação, já o faço à cerca de 20 anos.Se cada um de nós na sua profissão ajudar alguma coisa com o seu trabalho e o seu saber, isto será importante para Portugal.
Outra coisa muito importante é acabar com tanta burocracia com gasto de tempo que poderiam ser mais úteis e produtivos.Na minha área o Simplex ficou muito aquém do expectavél.Se os japoneses reconstruiram uma auto-estrada destruida pelo terramoto em 1 semana , vamos aprender com eles a dar a volta por cima.Regassemos as mangas e vamos ajudar Portugal. Digam nos onde precisam de ajuda, mas sem desperdicios!